Rastros de amor: Pequenos Corações faz cinco anos!

cinco anos pc

Por Durcila Cordeiro

Jornalista, mãe e voluntária da AACC Pequenos Corações

“Quem vê de longe não sabe, não sabe o quanto eu chorei…Quem vê de longe não sabe o caminho estreito no qual passei…Quem vê de longe não sabe, não sabe o que eu já vivi…

Quem vê de longe não sabe, não sabe o quanto aprendi…Quem vê de longe não sabe o caminho que  Deus me ajudou trilhar…Pra deixar as pegadas na areia  e assim outros pudessem passar. Rastros de amor, foi o que eu segui…Rastros de amor, quero deixar aqui…”

Transcrevi dois trechos da música Rastros de Amor, que também dá título a esse texto, porque vi neles muita semelhança com o trabalho da Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações (apesar da letra falar em seguir os passos de Jesus) que neste dia 24 de fevereiro completa cinco ano de existência como pessoa jurídica, porque nas ações e no coração  das mães que  levantam esta bandeira já existia há muito mais tempo.

E quando digo semelhança é porque pra quem chega agora não sabe ou não imagina o que está por trás de um trabalho tão lindo, cheio de amor e levado muito a sério pela diretoria da instituição. Não sabe quanto choro, dor, quanta alegria, quantas dificuldades, frustrações e ao mesmo tempo quanta determinação, força, suor e  muito, mais muito amor  foi derramado, espalhado e transformado pra chegar até aqui consciente de que tudo valeu a pena!

Foram mesmo rastros de amor… Rastros que começaram pequeninos com o nascimento de Thiago Saia Rebordões, o Thi. Ele era 1 em 100 como muitos outros que nascem todos os dias. Como meu filho e de muitas mães voluntárias da PC. No entanto, foi ele a quem Deus usou pra transformar a vida de todos, especialmente de sua mãe, Márcia Adriana Saia Rebordões. E que movida pela força do filho não deixou-se levar pela dor ao devolvê-lo ao Senhor aos três anos e meio, mas fez da sua partida o início de tudo.

Era chegada a hora de superar a dor como o Thiago fez tantas vezes e  transformar a vida de outras mães dando a elas a chance de ver o filho ou a filha chegar ao tratamento. Nascia formalmente a AACC Pequenos Corações, que de pequena só mesmo no nome! Pois é grande igual a coração de mãe! Uma diretoria formada de mulheres determinadas: Márcia Adriana, Larissa Mendes, Patrícia Drumond e Fabíola Bilro. Mulheres determinadas no amor e em dar amor! E nos “rastros” delas centenas de outras mulheres, homens, famílias inteiras espalhadas pelo Brasil em mais de 50 núcleos de voluntários, fazem o trabalho da Pequenos Corações ser gigante e ultrapassar barreiras, inclusive sendo conhecida em outros países.

Em cinco anos de existência foram muitas perdas… Crianças não resistiram ao tratamento… Mas muitos foram os ganhos: Crianças receberam o tratamento e voltaram pra suas casas; Leis foram criadas (Dia da Conscientização da Cardiopatia, Teste do Coraçãozinho como protocolo do SUS); Casa Pequenos Corações que se tornou realidade; campanhas foram feitas; mais pessoas foram envolvidas e tantas outras atendidas. No entanto, ainda há muito a ser feito. Apesar do trabalho da AACC ser abrangente e feito com primor, poderia ser ainda maior. Mas para isso os recursos precisam chegar. E você pode ajudar. No site da instituição (www.pequenoscoracoes.com) você tem todas as informações de como ajudar.

E pra finalizar… Eu queria dizer que eu me orgulho de fazer parte dessa família e sou grata pela convivência com essas pessoas. Por tudo que já fizeram também por mim e pelo aprendizado neste caminho.

E como no final da letra de Asaph Borba eu espero que : “Acima de todo o brilho do mundo, o exemplo é o que deve ficar…” Para que aqueles que seguem os  passos da Pequenos Corações nunca venham a se desviar…”   A Associação de Assistência às Crianças Cardiopatas Pequenos Corações  é EXEMPLO DE AÇÃO SOCIAL ! Exemplo do que  podemos fazer quando temos vontade e especialmente quando fazemos como amor e amor ao outro.

Parabéns! E que Deus continue abençoando todas as ações desta família!

%d blogueiros gostam disto: