Uma ilustração inspirada e inspiradora…

(*) Gerar um filho é um momento mágico, mas receber a notícia que seu filhinho tão esperado tem um problema cardíaco é algo que tem um impacto inimaginável na vida de uma gestante. Algumas famílias podem querer desistir, e esperam apenas que “o pior” aconteça.
Esse texto foi escrito para que as mamães que acabaram de ter essa notícia impactante, que seu bebê tem uma cardiopatia congênita, não desista da luta, mas renove as suas esperanças, mesmo que o prognóstico médico seja o pior possível! Sempre valerá a pena! 

“Mamãe,
Esses dias percebi que você tem chorado bastante, e isso me deixa triste também. Sei que você sofre por ter descoberto que meu coraçãozinho tem um dodói, e que os médicos estão falando pra você que isso é grave e complicado e que quando eu nascer vou precisar passar por uma, ou até algumas cirurgias. Não entendi direito o que isso quer dizer, só percebi que isso te assustou muito e também fiquei assustado, mas no fundo eu sei que tudo isso se resolverá.

Ouvi também quando você, chorando, disse para o papai que desejava que isso não passasse de um triste pesadelo, e que quando você acordasse, alguém iria lhe dizer que está tudo bem comigo e com meu coraçãozinho, mas eu sei que existe algo “diferente” comigo, pois ouvi o médico falar que meu coraçãozinho tem um dodói, apesar de eu não sentir nada. Aqui dentro da sua barriga eu tenho tudo o que eu preciso: amor, carinho, uma caminha quentinha e aconchegante; recebo de você o alimento e o oxigênio que preciso para ficar forte e crescer. Por isso não me sinto cansado nem com dor, e estou crescendo e engordando direitinho!

Eu ainda não entendo muito das coisas, mas entendo tudo o que Papai do Céu me diz, e Ele sempre sussurra algumas coisas meus ouvidos. Ele me disse que me fez assim com um coraçãozinho muito especial porque tem uma missão mais especial ainda para mim, para você e para o papai. Ele diz também que “estará comigo todos os dias da minha vida” e que “cuidará de mim”, nas horas difíceis e nas horas sombrias. Ele falou também que “ainda que eu passe pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Ele estará comigo, e o seu cuidado me consolará”.

Mamãe, o amor que você e o papai sentem por mim me dão força, mas tanta força, que tenho certeza que o nosso amor será o suficiente para vencermos! Passaremos juntos, pelos piores momentos que possam vir, e sei que iremos vencer! Ainda vamos rir muito juntos, e vamos entender lá na frente, que o amor de Deus só permitiu que tudo isso acontecesse porque Ele mesmo tem preparado algo muito maior para a nossa família!
A única coisa que eu peço para vocês, mamãe e papai, é que me deixem tentar. Se eu não tentar, nunca saberemos se daria certo. A parte de vocês é apenas procurar me oferecer o melhor. O resto, deixa comigo e com Papai do Céu.

Tudo vai se encaixar… Tudo vai acontecer da melhor maneira possível… Mas preciso que vocês não desistam de mim, e não fiquem pensando se vou sofrer muito ou pouco, pois papai do Céu me disse que sofrerei apenas o necessário. Prometo que, se um dia ficar difícil demais, e se for pesado demais pra mim, seguro nas mãos do Papai do Céu e vou ser o anjinho mais lindo que habitará um lugar onde não há choro, nem dor, e onde Deus enxugará de meus olhos todas as minhas lágrimas… Mas antes disso, eu preciso tentar!

Mamãe, eu sei que você não quer que eu sofra, mas o sofrimento maior será descobrir que eu não tive a minha chance de provar o quanto eu sou forte, valente, guerreiro, um verdadeiro herói.
Olhe os meus amiguinhos que também nasceram com meio coração, coração com buraquinhos, coração invertido, virado, com veinhas trocadas ou válvulas imperfuradas… Todos eles tiveram sua chance de lutar. Passaram também por momentos difíceis, ficaram dias, semanas ou meses em hospitais, mas hoje eles estão aí para provar que valeu a pena, e sempre valerá! Veja como eles correm, brincam de skate, bicicleta, patins, patinete, cantam, dançam, descem no escorregador, fazem natação, pulam, enfim… são muito, muito felizes! Todos eles tiveram a sua chance. Agora é a minha vez… Eu só preciso que vocês me deixem tentar!

Mamãe, Papai, Vovó, Vovô, EU AMO VOCÊS! Ainda vamos ter muitas histórias pra contar!

Falta pouco… eu já estou chegando! Até breve!
Seu bebezinho de coração especial”

(*)Textos de Marcia Adriana Saia Rebordões, mãe do Thiago, que nasceu com “meio coração” (SHCE), também teve a sua chance de lutar e viveu 3 anos, 5 meses e 24 dias. A sua história inspira hoje muitas outras famílias que são assistidas pela AACC Pequenos Coraçoes.

%d blogueiros gostam disto: