Cardiologia e Neonatologia da SBP chamam atenção para o Teste do Coraçãozinho

Os Departamentos Científicos (DCs) de Cardiologia e Neonatologia da SBP redigiram um consenso técnico para a realização da oximetria de pulso, também conhecida como Teste do Coraçãozinho. Trata-se de um exame simples, indolor, rápido, que deve fazer parte da triagem de rotina de todos os recém-nascidos, pois é importante para o diagnóstico precoce de cardiopatia congênita crítica. “Atualmente é feito em alguns serviços, mas não ainda em todos”, informa o dr. Renato Procianoy, presidente do Departamentos de Neonatologia.

 “Várias doenças podem passar despercebidas no exame da maternidade, só serão detectadas se ocorrer uma busca maior. Muitas vezes a criança nasce aparentemente com normalidade, mas no final da primeira semana ou do primeiro mês de vida, desenvolve um quadro de choque e/ou de hipóxia (falta de oxigênio) e não há tempo hábil para o atendimento. Auscultar o bebê pode não ser o bastante. Sabemos que de 30 a 40 % dos que têm problemas cardíacos graves recebem alta das maternidades sem o diagnóstico. Temos que descobri-los no berçário e o primeiro passo é, sem dúvida, a oximetria”, assinala o dr. Jorge Afiune, presidente do Departamento de Cardiologia. O especialista acrescenta que oito entre mil nascidos têm problemas cardíacos congênitos e desses, dois são casos graves que precisam ser reconhecidos o mais rapidamente possível.

 Dr. Jorge ressalta também que a oximetria não substitui outros exames, como o Ecocardiograma fetal, com 20 semanas, com atenção para problemas cardíacos. O Teste do Coraçãozinho é realizado com um aparelho, o oxímetro, para medir a oxigenação do sangue na mão e no pé do bebê. “Todos os pediatras estão aptos a realizá-lo. Integrando a triagem neonatal de todos os serviços, certamente trará um impacto muito positivo”, assinala o dr. Procianoy.

 O texto “Diagnóstico precoce de cardiopatia congênita crítica: oximetria de pulso como ferramenta de triagem neonatal” está disponível nos espaços de ambos os DCs no portal da Sociedade e também aqui. Leia a íntegra!

Leis e obrigatoriedade

 O Teste do Coraçãozinho já é obrigatório em alguns estados, sendo Mato Grosso do Sul o pioneiro, mas não há ainda uma legislação federal. Na Câmara dos Deputados tramita o projeto de lei (PL) 484/2011, de autoria do senador Eduardo Azeredo, que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente, incluindo vários testes de triagem neonatal, dentre os quais o da oximetria de pulso. Está na Comissão de Seguridade Social e Família, onde aguarda parecer da deputada Teresa Surita.

Exemplo de um oxímetro de pulso utilizado para aferição da saturação periférica de oxigênio

Sensor do oxímetro sendo colocado na mão direita do recém-nascido

Oximetria de pulso aferida na mão direita mostrando uma saturação periférica de 96%

Oximetria de pulso aferida no pé direito mostrando uma saturação periférica de 96%

Fonte: http://www.sbp.com.br /    Assessoria de Comunicação da SBP

imprensa@sbp.com.br

Uma resposta

  1. Faltou a Assessoria de Imprensa da SBP dizer que o “Teste do Coraçãozinho” foi e está sendo uma bandeira erguida pela Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações. Mas é muito bom saber que contamos com o apoio dos médicos.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: