Bebê cansado para mamar: atenção com doenças cardíacas

0,,15908195,00

Esse sintoma pode ser sinal de problema no coração

Seu filho larga várias vezes o peito ou a mamadeira, respira com dificuldade, parece cansado? Fique atenta e converse com o pediatra, pois esse pode ser um indício de problema cardíaco provocado por defeitos no coração, que surgiram enquanto ele ainda estava se desenvolvendo na sua barriga. As chamadas cardiopatias congênitas atingem oito bebês em cada mil e a maioria delas não representa ameaça. No entanto, em 20% a 30% dos casos, a criança precisa de cirurgias para sobreviver, sendo a primeira, às vezes, logo após o nascimento.
As malformações cardíacas são mais comuns em gestações tardias, mães ou pais com doenças do coração, na presença de diabete, lúpus, infecções virais, como rubéola, e uso crônico de certos medicamentos. Costumam ser detectadas ainda na gravidez, no ultra-som, quando os médicos percebem se a forma e os sons cardíacos do feto estão normais. “Qualquer suspeita nessa hora deve ser investigada com um eco cardiograma fetal”, orienta a cardiologista pediá­trica Cé­lia Maria Camelo Silva, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Segundo ela, quanto mais precoce o diagnóstico, melhor. “Pode-se estabelecer com antecedência a conduta a ser tomada depois de o bebê nascer, ou, em certos casos, medicar a criança ainda no útero pelo cordão umbilical.”
Como funciona
O coração distribui o sangue para os sistemas do corpo numa viagem de mão dupla: o sangue percorre todo o organismo, volta com impurezas para o lado direito do coração, é bombeado em direção aos pulmões para ser purificado, passa para o lado esquerdo do coração e, daí, para a aorta, maior arté­ria do corpo. Ela transporta o sangue oxigenado em novo percurso. As anomalias cardíacas alteram essa trajetória. Deixam, por exemplo, que o sangue impuro se misture ao oxigenado ou causam aumento ou diminuição do fluxo sanguí­neo aos pulmões. Dependendo do defeito, as cardiopatias serão, então, cianóticas ou acianóticas, pela característica de haver ou não mistura do sangue e baixa oxigenação no organismo. “A criança cianótica apresenta coloração azulada nas pontas dos dedos e lábios”, esclarece o cardiologista Valdir Moisés, professor da Unifesp. Outros sintomas, conforme o problema, são cansaço, suor intenso, principalmente na cabeça, dificuldade para ganhar peso, inchaços, irritabilidade, palidez, respiração acelerada com ou sem esforço e facilidade de pegar infecções pulmonares.
Vida Normal
A criança com cardiopatia congênita pode brincar e freqüentar a escola normalmente. Se tem limitações físicas, os pais devem estimular as atividades em que ela tem habilidades e prazer. O importante é contar a ela sobre a doença desde cedo, ressaltando a importância do tratamento para melhorar, e evitar dependência exagerada na relação, procurando manter educação igual à dos outros filhos. As internações, quando a criança precisa de cirurgia, costumam ser sofridas para a família, mas três atitudes básicas amenizam a experiência:
– Tornar mais familiar o ambiente hospitalar, levando para lá os objetos prediletos do filho.
– Estar sempre ao lado da criança, inclusive na UTI. Os hospitais permitem e só pedem para os pais se retirarem quando há uma internação ou ocorrência grave.
– Entender o problema, perguntando tudo ao médico. Bem informados, os pais se sentem mais seguros e transmitem mais tranqüilidade ao filho.

(Fonte original: Revista Crescer)

2 Respostas

  1. Durcila
    O site está lindo!!! Muitas matérias interessantes, Parabéns.

    • Obrigada! Graças a Deus estamos conseguindo levar a diante este sonho. Mas preciso muito de vcs!

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: