Gripe ou resfriado?

gripeA dúvida é mais do que natural, pois os sintomas são bem parecidos. Mas há diferença entre eles

Ana Santa Cruz – Crescer Notícias

 

 

 

 Tanto a gripe quanto o resfriado são causados por vírus, mas de espécies diferentes, portanto não são a mesma enfermidade.

A gripe é causada pelo vírus influenza A e B, que sofre mutações anuais. Por conta disso, adultos e idosos precisam repetir a vacina todos os anos. Já o resfriado é causado pelo rinovírus, em 70% dos casos. E são mais de 100 tipos, daí a dificuldade de se desenvolver uma vacina. Ambos são bastante contagiosos, sendo transmitidos até por gotículas de saliva. Estudos norte-americanos mostraram que a principal via de transmissão dos vírus do resfriado e da gripe é manual. A criança espirra sobre um brinquedo e, minutos depois, uma outra toca no lugar e leva a mão ao nariz ou à boca. Contágio feito.

Sintomas

Na grande maioria dos casos o resfriado afeta nariz, ouvido ou garganta, provocando coriza, irritação das mucosas, tosse, espirros e, às vezes, leve elevação da temperatura corporal. No caso das gripes, os sintomas costumam ser mais intensos e incluem febre alta, dores musculares, cansaço e dificuldade para respirar, situação em que a criança deve ser levada ao médico para verificar se existem outras doenças associadas.

Como tratar

O tratamento no caso de gripes e resfriados tem como objetivo aliviar os sintomas, pois em geral a cura é espontânea. É importante incentivar a criança a tomar mais líquido. É possível que o apetite diminua durante a enfermidade. Deve-se fazer lavagens nasais com solução fisiológica e estimular a criança a assoar o nariz várias vezes ao dia. Se necessário coloque um umidificador de ar no quarto para facilitar a respiração da criança. No caso de febre, controlar com banhos ou antitérmicos. Não se deve administrar descongestionantes, antiinflamatórios ou xaropes para aliviar a tosse, sem antes consultar um médico.

Outras doenças associadas

A gripe e o resfriado em geral duram cerca de quatro dias, mas a enfermidade pode também ser a porta de entrada para outras viroses e doenças mais sérias. “O vírus quando atinge o sistema respiratório pode causar um desequilíbrio na resistência da criança, diminuindo sua imunidade e predispondo-se a infecções por bactérias”, afirma o pediatra Joaquim Rodrigues.

Como conseqüência, essas bactérias, principalmente o pneumococo e o hemófilo, podem atingir órgãos como os pulmões, os ouvidos e os seios da face e daí causarem, respectivamente, pneumonia, otite e sinusite.

Atitudes que ajudam

· Tente controlar a sua ansiedade, assim a criança ficará mais calma.

· A hora de dar o remédio pode ser um estresse. Seja firme, sem perder o controle.

· Pode ser que o pequeno perca o apetite. Ofereça alimentação, mas não force.

· Fique sempre por perto. Essa troca de carinho faz muito bem.

 

Cuidados com a casa

No período em que a criança estiver gripada, algumas atitudes podem melhorar os sintomas. Essas ações também são aconselháveis para os alérgicos.

· Limpe a casa com pano úmido e aspirador de pó diariamente. As vassouras levantam poeira.

· Troque as roupas de cama da criança duas vezes por semana.

· Retire tapetes, carpetes e bichos de pelúcia do quarto de seu filho.

· Não entulhe coisas em estantes, para evitar o acúmulo de poeira.

· Não deixe gatos e cachorros entrarem em casa. Os pêlos dos animais são agentes agressores ao sistema respiratório, principalmente de quem tem asma, rinite ou está gripado

 (original:http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI1017-15327,00-GRIPE+OU+RESFRIADO.html)

 

 

 

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: